Cigarros e terremotos

Ele achava que passava por tempos difíceis e que não sabia, dificilmente sabia, quando estava agindo da maneira certa diante das situações da vida. Era um ser crente, descrente. Queria escrever, porque acreditava na capacidade reflexiva da atividade de escrever (e ler). Mas não conseguia escrever. Queria poder registrar, por exemplo, que no novo trabalho o rapaz mais atraente com quem ele já havia tido oportunidade de estar se trancou numa cabine com ele, tirou a toalha e ele disse não. “Eu não posso triscar em você aqui”. Que certa vez conversou com uma barata e deixou de queimar uma abelha com a ponta do cigarro porque achou que ela merecia viver, como qualquer um. “Não vou atrapalhar o seu caminho na vida”.

Que admirava a vida das formigas. Que tinha de combater todos os dias sentimentos negativos e que falava a verdade sempre que sua intuição pedia, e sua intuição era muito poderosa. Que era um homem leal. Que era um homem. Que celebrava o charme das cidades, a onipresença da natureza e sua lua-guia, seus ventos, contornos, cores, águas, seus seres complexos. Que odiou gostar de fumar, mas se sentia bem e ficava realmente charmoso quando acendia um cigarro. Que gostava de carros, adorava dirigir, amava construções, pornografia, tinha interesses espirituais e queria uma existência inspiradora, ao lado de verdadeiros amigos e do amor de carne e espírito.

Mas não conseguia dizer nada disso. Então, fartava-se. A escrita era para os grandes e os corajosos e ele só se sentia assim de vez em quando. Mas era vida o que ele tinha em mãos. Vida pura. Que fazer com ela? Qual era a melhor maneira de cuidar de algo tão valioso? Como respeitar sua integridade? Negando-a, como prega a Bíblia Sagrada, ou abraçando-a sem reservas, como pregam os hedonistas? Acender um cigarro trazia calma. Mas o coração continuava a pulsar com a intensidade de um terremoto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s