Vinte e seis

No meio de tudo eu de repente paro por um instante e quando percebo que estou longe de casa, num universo pra chamar de meu, longe de tudo aquilo que eu conhecia de mim mesmo na forma como eu conhecia… eu me sinto desnorteado pra caralho e me dá um misto de aflição e alegria, um sentimento meio desolador e triste de quem está longe do lar, tentando construir uma vida, um novo lar… sem saber se é tudo fantasia. De repente andam brincando com a sua cara, te jogando pra lá e pra cá, no meio do furacão, e você aprende a sambar no meio disso tudo mas a troco de que? É isso mesmo que eu quero? Eu não me sinto mais tão jovem pra me perguntar se estou no caminho certo. Em dias como esse, em horas como agora, eu gostaria de poder parar. Tudo. Sem pestanejar eu gostaria de parar tudo por um instante, me afastar desse mundinho calhorda e apaixonante. Eu acho que nenhuma palavra no mundo vai ser capaz de refletir o meu estado agora. Então, chega de tentar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s